5 de abril de 2019

põe-te a Caminho!



... Já tod@s sabemos, sentimos, observámos e coiso

que as energias deste último par de meses são notáveis, explosivas, irresistíveis, imparáveis *
contestatárias e irreprimíveis,

é tudo a bater de frente, a queimar, a arder, a explodir - e a cair, e a ficar pendurado, e no fundo do (seu próprio) buraco

- e que à medida que este mês avança a coisa aquece, e aquece, e aquece

e a par do desafio convite convocatória apelo impulso vontade de mudar de vida também nos oferece

a coragem a audácia a confiança para avançar

- e um grande par de tomates - a quem os queira agarrar, senão fica agarrado ao pau - para não variar

um chackra vermelho para s'enraizar,

um laranja para viver com Prazer autêntico,

um amarelo para se definir e expressar a sua própria vontade e prazer de estar Vivo, e em movimento

(um Coroa para nos orientar - and I don't mean another sugar daddy, porque topas? tão-se a pôr nas putas, os cotas - e já não é de hoje

e as Mulheres, as que o são, já se começaram também a pôr-se ao fresco

- e não digo refrescar a passarinha por causa do s.Valentim)

- Segurança, precisa-se!, né?

Garantias, promessas - não vão funcionar, vão-te manter agarrad@ (e esse pau vai cada vez mais escorregar-te das mãos enquanto se torna um palito: sugiro-te VEEMENTEMENTE que não te agarres, mas que te deixes cair

em Ti (depois não digas que eu não avisei)

Segurança,

não na ilusão que nos vem dos apegos ou contróis, sei lá: o outro tá manso, o outro não vai, o outro precisa de mim, o outro não consegue, o outro coitado, o outro

(eu sou manso, eu não vou, o outro precisa de mim, eu não consigo, coitado mazé de mim)

Segurança, sim,

mas na própria Vida, e na percepção que nos devolvem

nossos próprios faróis *

os que são iluminados pelo electro-magnetismo da ligação ao Alto.

(se o transe e o nevoeiro e os véus da negação e da auto-ilusão não forem demasiado estimados, claro - e o medo, ah, o medo, sempre o medo, o antídoto da Vida: vê lá tu, foste inoculado à nascença com o vírus da Vida, e passas o tempo a inocular-te o antídoto: é preciso ser estúpido para passares a vida a tentares amortecê-la! :-) )

... e LEMBRA_TE disto: para que "as coisas" não nos "aconteçam", nem imponham de fora, é fundamental que as façamos acontecer e com elas colaboremos

a, e com, cada momento chamado "agora".

seja como for, e se durante muito tempo não houve propriamente urgência, e continua sem haver urgência em chegar a algum lado,

há urgência em partir, ai isso há, não duvides: em pormo-nos a Caminho; e começar a Caminhar
sobre os nossos próprios pés.

ando a dizer, há tanto tempo:

há uns que se manipulam a si próprios com desculpas e culpas,

arranjam desgraçados atrás dos quais se esconderem,

ou escolhem deprimir, fazerem-se de vítimas, coitadinhos,

não podem, não têm, não conseguem, não sabem, ainda precisam de tempo, não sabem se é, se não é, se são, se não são,...

é, é!..., precisam de tempo mas é o kar****!

precisam é de acordar para a Vida, senão a_corda

vai dar um nó ainda pior

e é por isso que tantos que decidiram atirar a toalha ao tapete e escolheram começar a deprimir, adoecer e morrer. E partir.

Acabam por partir na mesma,

- Isto é tão inevitável como eu ter de escrever em português para honrar o meu estilo próprio -

mas não é rumo à sua própria nova Vida: ou talvez seja. Atravessando o umbral desta morte anunciada.

* * * * *

and now for something completely the same,

E porque nem tudo tem que ser dramático nesta ilusão que precisa ser levada a sério

(quem inventou a Vida como paradoxo foi genial)

uma charada que só interessa a quem perceba:

(porque quem não percebe, é melhor não perder ainda mais tempo a tentar responder a adivinhas):

« Qual é a coisa, qual é ela, que começou a fervilhar há uns meses, acordou cheia de fome por estes dias, e se prepara para passar uma ponte, para o outro lado, e terá um pé - ou os dois - do outro lado

antes que cheguemos ao final do mês, mesmo que só ponha o outro

lá para o início da primavera, ou do verão

outono

inferno?

naaaa...

inferno,

apenas para quem não percebe a charada, nem que a Vida É e exige Movimento,

o que é pena:

tiveram a Vida toda (esta, a que foi vivida até agora e está a morrer)

para reconhecer os sinais *

e agora está Verde, e diz o sinal que não avançar é morrer

e criar acidentes

e está tudo a buzinar, atrás e à volta

ambulâncias e sirenes a caminho

e o pobre mirone, distraído e ocupado com as paragens dos outros

e sem perceber que é ele o acidentado *

3 comentários:

Unknown disse...

Que mindfuck!

Terapias do cor❤acão disse...

Fantástico!!!!!! ❤❤👏👏👏❤❤

Teresa disse...

Adoro! Espelha o meu sentir
em total movimento...