15 de abril de 2018

o retorno da Alegria

... em pouco tempo mudará tudo outra vez, ou pelo menos -

- atenta-te a notar umas mudanças energéticas significativas nas próximas horas, dias: semanas. Poucas.

e se tens estado chei@ do que os anglófonos chamam de "second thoughts",

rest assured:

vais recuperar entusiasmo, confiança, decisão, energia, combatividade, alegria:

preocupações aparte,

tesão novamente.

é como se regressasses e retomasses aquele verão – tu na esplanada, na praia, com a paixão recente, e pronto para comer - várias vezes - este mundo e o outro (já para não dizer...)

e muito, muito antes - ou nem tanto assim, aconteceu tudo tão depressa -

da fase difícil, sombria e assombrosa, que se lhe seguiria inevitável e previsivelmente, opressora e depressiva,

essa que viria a apertar-te a apertar-te e a fazer-te duvidar de tudo, e tu - inconfessavelmente - a perguntares ao espelho, nos poucos segundos em que conseguias escapar-te ao panóptico do teu próprio karma e destino e te trancavas na casa-de-banho,

(onde é que já não ia a esplanada!)

ou te deixavas ficar de cabeça deitada na almofada a fazeres-te de morto, a ver se a realidade nova, e dura, da tua vida (da tua nova vida? Da tua velha morte?) não te apanhava outra vez (era o teu minuto de liberdade antes de teres de te levantar e ir fazer-te à vida que te andava a desfazer a ti, a moer-te, killing you softly)

e nesses momentos secretos anedóticos e inconfessáveis tu a perguntares ao espelho, ou escondido na almofada a perguntares-te para dentro qualquer coisa que começava com "meu deus" mas sem saberes sequer articular a pergunta, sem saber bem sequer o que perguntar, ou sequer se valeria a pena

- se é para ouvir uma nega, mais vale tar calado, e a vida deu tantas negas seguidas, em tão pouco tempo, cu melhor mesmo é tar calado

Com os cornos poisados na almofada, o olhar da inutilidade última de toda a esperança reflectido no espelho, em posição fetal mesmo que por e para fora tivesses de continuar hirto e firme como uma barra de ferro,

O espelho, o reflexo ou a reflexão devolvendo-te as imagens de uma versão miserável de ti próprio

E com tanto frio,

Tão longe do verão.

E tu em posição fetal, mas só por dentro, porque por fora,

A vida teve de continuar, e tu obrigando, como dizia o poeta, o coração e os músculos a renovar um esforço há muito vacilante / Quando no teu corpo, já afogado em crepúsculos / Só existia a vontade a comandar “avante!”

Mas isso, camarada, foi até agora, porque em pouco tempo mudará tudo outra vez, ou pelo menos -

- atenta-te a notar umas mudanças energéticas significativas nas próximas horas, dias: semanas. Poucas.

e rest assured:

estão a desfazer-se os second thoughts, e a ficar para trás uma das páginas mais auto-comiserativas do teu romance de cordel (é que se levas a sério os pequenos dramas da personalidade e te identificas com a versão pequenina de ti próprio, a tua vida não chega a ser a epopeia que pode bem ser: é só um romance de cordel. É bom viver total e intensamente os momentos todos, incluindo os de auto-comiseração, dúvida, aperto, tristeza, desesperança, impotência, vontade de regredir, de evadir, e escapar, dar ordens – ou suplicar – ao “realizador lá de cima” que “corte”, “take 2”, e comece tudo outra vez, como se fosse possível – mas é ainda melhor poder reconhecer tudo isso pelo que é - e é só uma fase amplificada na sua miséria pela identificação com a parte pequenina de nós próprios)

de modes que,

com as mudanças energéticas que se aproximam (a primeira Lua Nova da Primavera, a sua conjunção a Urano, a estação directa de Mercúrio, o ingresso de Urano em Touro, o ingresso de Quiron em Carneiro, o Marte a afastar-se do midpoint Saturno/Plutão, que o têm enquadrado, a conjunção Sol/Urano a 28º de Carneiro com a Lua e Vénus dignificadas em simultâneo, e algumas outras coisas que deixo para alunos e estudantes, noutros contextos)

posso garantir-te que o que “vejo” é que vais recuperar entusiasmo, confiança, decisão, energia, combatividade, alegria:

preocupações aparte,

tesão novamente.

Tanta vida adiante.

Pega em ti próprio pelos suspensórios e põe-te de pé,

repete comigo " a vida é uma aventura maravilhosa e eu vou vivê-la toda"

E com entusiasmo renovado põe-te a caminho, camarada:

Tesão, avante!



Enviar um comentário