17 de dezembro de 2017

Lua Nova de Sagitário



Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017:

seis e meia da manhã

Dá-se a última Lua Nova do ano civil, nos últimos graus (a 26º+, para sermos rigorosos) do signo de Sagitário, em conjunção ao Centro Galáctico (a 27º+ desse signo).

A posição do Sol e da Lua, (con)juntos como em qualquer Lua Nova (o momento de um novo início, de revitalização, de inseminação por um novo impulso criativo proveniente do mundo espiritual), está enquadrada (“cercada”, ou contida) por Vénus (símbolo de Prazer e Valorização), de um lado, e por Saturno (Responsabilidade, Karma, e Tempo), do outro.

A conjunção dos luminares (Sol e Lua) forma um trígono com Urano retrógrado, em Carneiro, evocando o trígono recentemente formado entre Saturno e Urano - símbolo e energia da “transição” que todos vivemos durante todo o ano de 2017.



Esta “transição” entre Saturno (o passado, o establishment, a tradição e as estruturas antigas) e Urano (o despertador do futuro, que nos obriga à libertação, à reinvenção pessoal e à mudança - a bem ou a mal -) simbolizada pelos trígonos sucessivos que formaram nos céus ao redor de 25 de Dezembro de 2016, 19 de Maio de 2017, e 11 de Novembro 2017, entre os graus 20º e 26º de Carneiro/Sagitário - evocou, ela própria (a transição: o trígono entre Saturno e Urano) o “grande despertar” que Urano veio propôr a todos nós, quando entrou em Carneiro em Maio de 2010: a absoluta necessidade de nos reinventarmos - e certificarmos de que quando Urano comece a fazer a sua transição para Touro, em Maio de 2018, e a “queimar os últimos cartuchos” da sua passagem por Carneiro, sejamos pessoas - consciências - com vidas completamente diferentes do que éramos nessa altura, desafiadas a crescer e mudar por circunstâncias que aí viriam (e vieram!), e que eram inimagináveis à data em que Urano entrava em Carneiro em Maio de 2010: na mesma altura em que se incendiava por todo o mundo a primavera árabe, se revoltavam os Indignados contra os poderes instituídos, muitos quiseram Occupy Wall Street, e até em Portugal se fizeram manifestações espontâneas organizadas por Facebook (Urano e o seu signo, Aquário, regem as redes sociais).

De modo que esta Lua Nova em Sagitário em conjunção com o Centro Galáctico, com Vénus de um lado, Saturno do outro, e Urano em trígono, tem toda a energia de mudança. Mas de uma grande mudança. E de uma grande oportunidade: uma oportunidade gigantesca.

Mas já lá vamos.

É que no Mapa desta Lua Nova também encontramos, em Sagitário, Mercúrio retrógrado (revendo ideais, ou antigas visões de futuro? Esperando o amadurecer necessário das circunstâncias, lidando com pendentes ou recolhendo e arrumando as peças do puzzle que se está a montar?

Ou poderá ser que esteja, mais essencialmente, fazendo ligações entre o Ser e o Tempo, relativamente a sonhos, projectos e desejos dos quais ainda não desistiu? - e não só não desistiu, imagino ou suponho, como se prepara para os resgatar do meio de escombros feitos de uma realidade que se intrometeu entretanto, e que teve de ser aceite como parte do nosso próprio processo de transformação empoderamento e cura; há quem lhe chame crescimento, amadurecimento,adultez.

Lidar com as exigências da vida. A expectativas dos outros. O preço das nossas próprias escolhas. Construir uma carreira. Ganhar controlo sobre a vida. Pagar as contas. Lutar por objectivos que fizeram parte do caminho, lidar com as circunstâncias da vida, perseguir obsessões, fantasias e equívocos: fazer aprendizagens.

Ir com a idade do Espírito ao encontro da cronológica. Cumprir o nosso karma. O melhor que pudemos e soubemos. Cuidar dos nossos filhos. Ou dos nossos pais. Ou de ambos. E dos outros, dos vários outros das nossas vidas, se calhar; mas não necessariamente de nós - ou pelo menos, não à maneira desse belo e velho sonho que veio a ser interrompido, ou do qual viriamos a ser aparentemente desviados - e pode ser, ou simplesmente parecer, que nos desviou (essa realidade que se intrometeu entretanto, digo) do nosso sonho - do nosso sonho mais autêntico, quem sabe (quão) antigo, quem sabe quão caro e querido ao nosso próprio coração.

Pode ser que tenha havido um desvio, um adiar sem data, um esquecer, um desistir, um arrumar a um canto, um sacrificar, um desistir de um sonho antigo e querido - quem sabe quão caro ao nosso delicado Coração.

Bem, o Coração sabe: e só ele sabe, e sabe bem, o quão caro, o quão querido, o quão antigo - e o quão verdade - é essa imagem, apelo ou sonho que pode ter ficado pelo caminho mas que só o imaginar, só o pensar nele, faz o Coração palpitar mais forte - e desta vez não é por stress.

É bem possível que a mudança que temos pela frente implique recuperar, tirar da gaveta um sonho antigo: quem sabe até se esse sonho antigo não era, afinal, o prenúncio da nossa própria vocação e destino.

Explico já por quê. Demos primeiro um salto no diário da nossa evolução.

Mas antes,

o essencial a fazer nesta Lua Nova - digo eu:

recupera o sonho antigo, o tal.

e depois deixa que se amplie, cresça, se torne uma realidade futura não só possível como provável, não só provável como inevitável - o teu destino.

visualiza esse sonho transportado do passado para o teu futuro, a passar por cima da tua cabeça - e pelo centro do teu Coração, de onde nunca saiu - rumo ao futuro,

recorda-o, desenterra-o, destapa-o, refamiliariza-te com ele.

e deixa-o não só que volte a viver, e tenha ordem de soltura, mas que cresça. E se torne escandaloso, audaz,

assume para ti própri@ o que é isso, caraças, que te faz palpitar o coração

o que é que queres ser quando fores grande?

porque vais crescer, digo-to eu:

e não te preocupes nem ocupes de apequenar, sabotar, voltar a sufocar, a trair o teu sonho: trá-lo para fora e para cima, põe-no à tua frente e põe-te frente a frente com ele.

depois escreve o que isso é. Aproveita a Lua Nova (lê meu o texto sobre como trabalhar com as Luas Novas, neste blogue) e certifica-te de que dás ênfase, sublinhado, ou até exclusividade a esse sonho.

em breve, muito em breve - antes do que tu pensas, se calhar, vais ter de, e como, voltar a ele:

para já, nas horas que se seguem a esta Lua Nova de Sagitário,

deixa que te volte a brilhar o sonho antigo

no Coração, e como sorriso.

Escreve-o sem reservas, e reserva-o:

prometo que ainda te vai dar muito que fazer.

(continua no texto "Solstício de Inverno 2017", neste blogue)

Enviar um comentário