13 de fevereiro de 2017

a Dança do Amor no Momento

13 de Fevereiro 2017

Ela

acaba de resolver um problema, separando-se

d'Ele, ou duma ideia

- a Liberdade que não há em deixar-se de merdin*as, e continuar a dançar a Dança de cada momento em aberto,

disponível, límpido como um céu apesar das gotas, e das nuvens, e das chuvas

enquanto o céu, como a Vida, permanece e flui por detrás dos instantes.


Ele, está em grande, equilibrando sua individualidade com seus valores - em revisão - e ideais de partilha

solidificando

a Visão de novas possibilidades, rasgos antigos, que a Vida de momento lhe permite começar a concretizar.

Ela, por ora, quase desistindo - temporariamente, é claro - de ideias e projectos e planos de futuro, noções abstractas com que Vida acena cenouras aos burros e depois aproveita para se lhes rir na cara,

quase tomando a decisão de ir atrás do que ela Ela quer, afinal: a resposta natural de quando a Vida nos troca as voltas,

e prepara-se para começar a correr atrás de uma coisa nova

ou a ser levada,

que nisto de ser humano,

não há grande diferença entre o que se faz e o que é feito através de Si

quando é por Si, e o movimento permitido.

e não se acaba o dia, nem se chega ao Valentim, sem que ela comece a correr outra vez,

já não atrás de uma ideia, mas à frente de um impulso,

atraída pela ideia da caça

e de ser caçadora

nem que isso consista em cutucar a presa

para que a persiga a si.

e mais à frente, um Valentim de encontro, desencontro e confronto,

ou simplesmente: um Valentim diferente.

E Ela encontrará palavras onde antes havia ideias, e gazuas onde antes havia chaves, e portas onde antes havia apenas janelas

e a meio da semana, a meio do dia, a meio caminho,

ela já estará noutro sítio, dentro de si, enquanto ele insiste em não desistir de um caminho previamente traçado

e quando ela começar a remexer em caixotes antigos, liberando o que já não lhe faça falta para a nova etapa,

começará Ele a sonhar, que é como quem diz: a cair na real,

porque Ele é muito mais lento e só vai realizar tudo o que aconteceu entretanto com Ela

lá para a próxima semana

e é se comunicarem - e vão comunicar -

e depois de mais uns solavancos o salto

d'Ela

para o Abraço dos dois

e dos dois rumo ao futuro

um futuro incerto, cheio de possibilidades e grávido de mistérios

com tudo em aberto

e como única condição a Entrega

para que tudo possa mudar outra vez

pela primeira vez

porque se Tudo muda, a cada momento,

de momento é certo que uma nova Vida requer que algo se eclipse,

e com o Abraço d' Ele e d'Ela no horizonte

é apenas natural que tudo mude outra vez

com o eclipse e Abraço que é salto de Fé

no final deste mês *



Enviar um comentário