29 de fevereiro de 2016

a dança do Amor no momento

20 Fevereiro 2016

Ela caminha de uma surpresa recente ao encontro do seu próprio poder, ele gradualmente desce das nuvens para confrontar a realidade. Se Deus quiser, ele vem mais inspirado e aberto, de coração tocado pelo sagrado. Ela reconcilia-se com o poder da sombra, e qualquer dia

Qualquer dia dá-se a magia e tudo mudará, outra vez, para sempre

- mas  não sem ele assumir, e sem olhar para trás, um novo rumo e dimensão, nascido da espuma das noites, o sonho e o mistério,

E será ela, quem sabe outra vez mas certamente desta vez, a abrir-lhe o caminho, a mostrar-lhe a porta, a trazer-lhe o entusiasmo e a confiança para que avance. Ele, por seu lado, e por enquanto, ainda pode ajudá-la a trilhar o seu próprio caminho nem sempre iluminado, dando-lhe luz, olhando com bons olhos a sua descida - a dela - às trevas no fundo da mina onde encontrará as pepitas do seu próprio poder de se curar, e o caminho de regresso já mais inteira a si própria. Ele estará lá, aí, todo o tempo, quanto mais não seja, porque sem ela renascida a nova fase dele também não se dá.

Não é questão de amor pessoal ou egoísta, nem sequer de princípio. Nem a razão nem a lógica entram nisto. Está para lá dos afectos, nem há justificação que alcance.

É simplesmente a dança do Amor no momento.

É deus cumprindo-se. Pai e Mãe regozijando-se em seu cósmico entrelaçamento.

É a Vida cumprindo-se.

Não há muito a dizer.



Enviar um comentário