13 de outubro de 2015

Lua Nova de Balança


 ... e pronto. Deu-se a Lua Nova de Balança, quer dizer que o ano vai a meio, e que um novo impulso é liberado para que a consciência dos Homens e Mulheres de Boa-Vontade o honrem. 

A oposição da Lua Nova a Urano também sugere que "coisas" ficaram definitivamente pelo caminho e que novas abordagens, com mais espaço para a individualidade e a "liberdade" (conceito carregado este de "liberdade", até o corrector automático do tm escreveu "coveiro" em vez de carregado - vá-se lá saber 😎)



... Um dos mantras mais libertadores que conheço para honrar Urano aprendi-o numa tirinha do Calvin & Hobbes, cujo diálogo rezava assim (estranho como até isto pode ser uma oração, né?)

"A partir de hoje o meu novo lema de vida é 'que se fod*a!", dizia o Calvin

"isso não é um bocado forte?!", respondeu o tigrinho animado de peluche

"que se fod*!"

... E todos temos, e sabemos, que há coisas pelas quais não vale a pena continuar a insistir, e que até podem ter sido importantes, no passado.

Mas recordemos que a Vida se vive de olhos postos no horizonte, pisando firmemente a verdade de cada novo momento. Quem vive de passado é museu (óptimo para ampliar a cultura no presente, reconhecendo o passado pelo que é, pelo que foi, e como foi origem e semente deste Presente, necessariamente diferente),

E quem ainda não o resolveu - ao passado, digo, e ainda luta para se pacificar com o que foi, com quem foi, e com o melhor que foi capaz de fazer.

Quem vive no passado é a Lua e Saturno. São os dois mais conservadores do sistema solar interno. E onde há Lua, e Saturno, falta sempre Amor Inteligente e Fé.

E esta Lua, além disso, é de Urano - que tem uma rotação excêntrica, e uma natureza tal que o condena a trair todas as expectativas. As do próprio, e as dos outros: em nome da Vida que se quer cumprir, arriscar, e viver.

... E nos faz pensar na frase do Brecht "do rio que tudo arrasta se diz que é violento. Mas ninguém diz violentas as margens que o oprimem."

Então, vê lá tu bem se não estás a oprimir-te, e violentar-te, em nome de margens que em vez de te estruturarem o fluxo - te oprimem a Vida.

Nunca peças desculpa por seres Vida. Nunca te envergonhes do teu Fogo.

Nunca te culpes por seres rio.

Aceita-te, e flui, e frui, e cumpre-te. Estás destinad@, para não dizer condenad@, e parecer mais uma castração religiosa, à beleza e à glória do teu encontro com o Mar

Mar de Vida, e devido, pleno e transbordante da reUnião de todos os rios que se permitam Ser, e fluir, e desaguar

Cumprindo o seu desígnio maior deste ansiado desejado e inevitável encontro com a sua maior dimensão

A dimensão que se atinge quando o rio se É, e se transcende, quando depois de se cumprir se dilui e transfigura

Quando o rio, sendo rio, se desagua e afigura a si próprio como Mar.

Será isto que significa a_Amar? Há quem lhe chame ir de Urano a Neptuno... que é como quem diz,
da Individualidade ao Amor

- e não antes, nem por outros caminhos, por muito que seja tentador ficar a bubuer e a mamar na ribeira, no pântano ou no charco. Consoante, é claro, o Plutão de cada Um *

(cada um mama onde pode, e quem não chora não mama, mas... Com tanta Vida por viver, diz-me lá, por que é que haverias de preferir querer mamar e chorar? Mesmo que a Vida to deixasse, digo...)
Feliz Lua Nova,... Rio.

E agora ri-te. E corre, corre ao encontro do teu próprio destino. E sabe que mesmo sem lágrimas tuas, o teu destino, simbolizado pelo Oceano, é suficientemente molhado para honrar a natureza aquática - e tua húmida condição. Afinal, das águas nasce a Vida, e às águas a vida regressa no seu ciclo infinito, para renascer. É só que, por esta altura, é preciso levar algum Ar às águas... Espaço, sabes, sob pena de sufocares.

"Água de Vida sou, vertida para os Homens sedentos" é o lema de Aquário, signo de Urano. Signo de Ar. E Urano, Deus mitológico dos Céus, sempre a pedir distanciamento objectivo, desapego amoroso, e perspectiva...

Lua Nova em Balança: como é que isto, pergunto eu armado em inocente,

se aplica, de momento,

às tuas relações?

Hum? 

*

Enviar um comentário