5 de fevereiro de 2015

a quadratura Urano - Plutão em termos simples




Vamos aproveitar esta notícia para explicar em termos simples (se é que é possível) a quadratura Urano - Plutão, uma das coordenadas astrológicas mais importantes para explicar os tempos modernos, e a caminhar para uma espécie de clímax - embora com 'efeitos' duradouros para as próximas décadas - agora em meados de Março:

Plutão em Capricórnio é o medo da mudança, baseado na ilusão da separação e na crença, por parte de quem tem 'algum' 'poder', de que tem muito a perder com a mudança e que a única maneira de garantir a manutenção dos privilégios é exacerbar o controlo sobre as circunstâncias, i.e. sobre a própria evolução (ahahahah tão a ver, não tão? A gente só pode é rir-se e ter pena, ou então medo, o único problema é a quantidade de gente que sofre por causa desta estupidez, mas... Vamos confiar que vão usar positivamente os desafios)

Urano em Carneiro é o nascimento de uma nova consciência do que é o Homem e um novo arquétipo de sociedade, por conseguinte, uma baseada nas Relações Humanas Correctas e que podemos chamar, para simplificar, de Humanismo Novo, Rehumanismo, ou simplesmente - Humanismo. Os termos são meus, pelo menos não os encontrei em mais lado nenhum, mas é possível - para não dizer provável - que a partir de agora comece a vê-los papagueados por aí. E sefaxavor, se alguém cunhou estes termos antes de mim sem meu conhecimento, por favor que se acuse para eu poder reconhecer os devidos créditos e não precisar de viver como uma fraude, ainda por cima, com essa consciência.

Mas adiante.

Plutão é a Velha Ordem. Urano é a descoberta de um Novo Futuro. Isto tem muitas variações, é tudo expressão do mesmo.  Por isso é que a Astrologia é a linguagem mais económica, e por isso mesmo menos cansativa, que existe. Quantos significados cabem num símbolo astrológico? Inúmeros, e não sabemos mesmo quantos mais cab_rão

Mas vamos dizer que Plutão é o Conservador. E que Urano é o Revolucionário, o Renovador, o Transgressor (do ponto de vista da ordem velha) -  o que permitirá, permitiria, Ser e Viver de outra maneira: nova, não tentada, desconhecida, mas por isso mesmo: mais livre e criativa. Se apenas houvesse tomates e maior compreensão, individual e por extensão e consequência, colectivamente, e até lá, tomates para viver assim - mesmo que 'contra' a incompreensão, a inconsciência e a estupidez alheia.

O mecanismo de reação à revolução é a subjugação pela força, quando a dissuasão e a sedução não servem ou chegam (e para Urano, é evidente não servem. Urano é o planeta que vê mais à frente, tá-se cagando para privilégios, e não aliena - nunca! - a sua liberdade, mesmo que isso implique prejudicar-se, de um certo outro ponto de vista; mas não do seu, porque para si o único que interessa é ser fiel a si próprio e à sua evolução e movimento, isto é, à sua capacidade de se reinventar à sua própria maneira a cada passo do caminho)

Então, a velha ordem tenta subjugar a transgressão à norma, e a norma é expressão do velho, e o método é a repressão. O exercício do poder. A intimidação. Basta ler os e-mails que as finanças começaram a mandar as pessoas, ouvir o discurso do primeiro ministro português (por exemplo), ou ver notícias. Por exemplo. A intimidação, a prepotência, estão em todo o lado. Na ameaça de perder o casamento, a amizade, a reputação ou o favor e as boas graças, na execução das 'normas' mesmo que de forma violenta e contra qualquer tipo de bom senso, como o pai tirano que ameaça o filho adolescente de o pôr na rua caso não lhe obedeça. É o que a 'união' (Ahahahah!) uropeia está a fazer aos membros (ai união, que m'ameaças o membro! ;))

Por exemplo ;)

Agora, Urano é o adolescente rebelde.

E toda a gente sabe que pela ordem natural das coisas, o adolescente não só vai emancipar-se e autonomizar-se (a não ser que chegue aos quarenta e continue na casa do pai, nesse caso, é um Urano deficitário, mas também, o que não falta é disso, e mesmo que seja por motivos 'financeiros'  história é outra. Mas adiante),

assim como toda a gente sabe que o adolescente vai também, pela ordem natural das coisas, destronar o pai quando chegar ao seu próprio auge, e provavelmente sobreviver-lhe. E provavelmente tornar-se ele próprio pai também, um dia, e quando tiver a seu cargo um filho e poder sobre ele, vai tornar-se um Plutão e a dança continua assim, ciclicamente como a vida na sua surpreendente, e entediante, previsibilidade.

De modo que esta é uma boa ilustração do que é o Plutão a 'apertar' (como escrevi em 2010, e já dizia antes disso) e a basear a sua resposta (resposta não, reacção) no medo do que possa vir a acontecer se não estiver no controlo do processo todo.

Mas o Urano e seu Humanismo já não permitem que a velha ordem continue a imperar, pelo menos não sem contestação, protestos, e rebeldia.

Quem quiser saber mais sobre o tema, tem entre outras fontes possíveis a minha conferência sobre Urano em Carneiro, de Junho de 2010, que quanto mais o tempo passa mais actual fica (faz parte do karma de ser Urano ;)- fica aqui um excerto de 14 minutos, retirado de uma conferência de 2 horas:



E quem quiser 'provas', demonstrações e exemplos, basta continuar a observar o que se passa no mundo. Como esta notícia da Noruega, por exemplo. E tantas outras. Ou os desenvolvimentos recentes na Grécia, que viu a sair das eleições uma escolha muito mais "Uraniana" do que "Plutónica". Não é à toa que a Grécia é o berço da democracia ocidental, e que poderá muito bem voltar a sê-lo, mesmo que o espírito de Democracia se revista agora de outro traje, mais adequado aos tempos modernos, em que a Democracia Grega tem (mais uma) oportunidade de confrontar, senão mesmo vir a destronar, a Plutocracia - neste caso, "ouropeia".

- - - só mais uma pista: o recém-empossado Ministro Grego das Finanças, Yanis Varoufakis, que já é visto por muitos como uma figura heróica, guerreira e prometeica - nasceu no signo de Carneiro (o Guerreiro) com Marte (regente de Carneiro e planeta da guerra) no signo de Caranguejo (lutando pela pátria, pelos desprotegidos, e pela vulnerabilidade humana), no grau do Zodíaco que se opõe diametralmente (coisas da Astrologia!) à posição astrológica do Sol no Mapa Astrológico das adesões dos países à União Europeia (todos os anos, no dia 1 de Janeiro, que é o dia das adesões à U.E., o Sol está no grau 10º de Capricórnio).

Yanis Varoufakis nasceu com Marte natal, regente do seu signo solar Carneiro, no grau 10º de Caranguejo - em oposição exacta. E isso permite reconhecer não só a natureza da sua batalha, como a evidência da sua batalha, como o que é a essência daquilo a que Hegel chamava de "agentes da História". E a Grécia vai ser, já está a ser, agente de uma mudança profunda na relação das nações com a "união" - e dará a luz um novo arquétipo de Humanidade, Humanismo, e Democracia; ou, pelo menos, contestará as noções que dominaram até agora, de natureza mais, diríamos, "Plutónica".

e bom,

Agora, que a explicação de 'Urano - Plutão for dummies' está feita, e bem exemplificada,

Fica a questão mais interessante, porque é cuidando destas que se cuidam das 'outras',
e que é:

Perante isto, e assumindo que compreendeste,

Pensa um instante e responde: o que é, na tua vida e na tua natureza, nos teus hábitos e nos teus vícios, e nas tuas dependências, que estás condenado a largar, com mais ou menos dor e resistência, nesta altura, mas nas quais provavelmente vais insistir até à morte (ou a tua, ou à da tua insistência no padrão),

Estás a defender, proteger, e racionalizar com todas as tuas forças, só para não largares?

Compreendes isto?

Ou preferes à liberdade... A morte?

Então olha, diz-te o meu Urano, mata-te prá i que eu vou à minha vida

... Depois vem um Neptuno e diz ao Urano, 'vai, sim, mas antes, dá ao pecador a oportunidade de se arrepender - escreve-lhe um post no Facebook ou assim, que tu gostas de tecnologias, e deixa-me usar-te, Urano, para chegar mais além de ti próprio. A gente arranja para aí um gajo qualquer que nos oiça conversar e pedimos-lhe que escreva a nossa conversa. Não que a apregooe. Não que a promova. Não que a ande a enfiar pelos olhos e ouvidos dos outros, nem à força da televisão e da mainstream, que para isso há programas de culinária a patrocinar outros sonhos, nem que a apresente como uma canalização do além, que  gente fascinada já temos demais, embora ainda só tenham identificado os jihadistas - e que surpresa vão ter quando descobrirem -,

Mas simplesmente um gajo que escreva. Só para que fique escrito. Para que leia quem queira, escolha, ou possa. A nossa parte está feita.

Seja como for, a nossa parte está, e sempre estará a ser, feita.

Saibam-no ou não.'

E responde o Urano:
'Oh Neptuno, e por falar em sabão... '
 É que o Urano vê muito, e muito à frente. Mas ninguém disse que ele ouve bem *
Enviar um comentário