28 de fevereiro de 2014

Lua Nova de Peixes (1 março 2014)


sábado 1 de Março, dá-se a Lua Nova de Peixes. É um momento EXTRA_ORDINÁRIO - fica o Mapa do Momento para quem queira ou possa 

vejam bem (que não há só gaivotas em terra... quando um homem se põe a pensar):

a Lua Nova corresponde, astrologicamente, à conjunção mensal da Lua com o Sol.


Aqui, encontramos a Lua em conjunção com o Sol em Peixes, último signo do Zodíaco, assinalando a última Lua Nova deste ciclo - que entra assim na sua última fase -, e que é simultaneamente a "preparação" do novo ciclo, que se inicia quando o Sol ingressar em Carneiro no dia 20 de Março.

Então, temos a Lua em conjunção com o Sol em Peixes - "encerrando" um ciclo e funcionando, à laia de "preparação oculta", como o germen - ou solo fecundo - de onde emergirá a "nova" Vida.
 

Mas há mais; não só esta conjunção ocorre em Peixes, signo que "recolhe" e "absorve" todos os resquícios e remanescentes de tudo o que "foi" até ao momento para os devolver à Fonte, ou entregar a Deus, e assim redimir todas as polaridades, dualidades e experiências passadas, absolvendo e sanando a "separação" ou pelo menos essa ilusão,

como ocorre em conjunção com o seu próprio dispositor, o "regente" moderno de Peixes, o oceânico Neptuno, e num trígono exacto com Júpiter, o seu "regente" tradicional, que se encontra exaltado em Caranguejo, signo por excelência da memória, da vida emocional, arquivo do inconsciente e de toda a história vivida e toda a biografia emocional; Caranguejo é o repositório emocional de nossa própria humanidade, "porta" de entrada da Alma e por isso signo do "nascimento": é aqui que "nasce" qualquer "cristão" que se venha a tornar "Cristo". Nascido em Caranguejo e purificado em Escorpião, tornado Cristo em Peixes - pescador de Homens e Almas, redentor da Humanidade, Salvador da dor-do-mundo.

a exaltação de Júpiter em Caranguejo, e o trígono deste planeta à Lua Nova, acrescenta a esta Lua Nova sua dimensão de magia, benção e milagre: é o momento absolutamente perfeito para AGRADECER por Tudo Quanto saibamos ou possamos - não é só que "reconhecimento e gratidão gerem abundância" e isto pareça, generica e evidente_mente, Verdade: é que é ESTE o momento cosmicamente perfeito para nos alinharmos com o Grande Benéfico exaltado e abrir os braços (expondo o Coração) para que suas Bençãos se derramem sobre Nós como um chuveiro divino - ou um banho de imersão no Amor que Tudo É*

repara, também, que esta Lua Nova ocorre na Casa XII deste Mapa, Casa que é tradicionalmente o "domicílio" de Peixes e Neptuno, planeta com o qual a Lua Nova faz conjunção, e domicílio também - a Casa XII, digo - de Júpiter, por via da sua regência nocturna, e que a Lua Nova faz com ele - com o Júpiter, digo - um lindíssimo trígono.

e repara, ainda, que Quiron, símbolo das feridas que nos tornam sábios, está também envolvido nesta equação, em conjunção muito próxima com a Lua Nova e com Neptuno, e envolvido assim numa tremendamente potente malha energética de que estamos há falar há vários parágrafos,

e que tudo isto é potenciado pelos aspectos positivos (os sextis) a Plutão, regente - dizemos nós em Astrologia Esotérica - do signo de Peixes ao nível da Alma e energia planetária responsável por destruir os grilhões da dualidade, e da escravidão do Ser às suas oitavas inferiores, para que a Alma assim liberta possa tornar-se finalmente Una com... bem, é Una, não há "com" nem "além" de Si.

recapitulando:

Lua Nova em Peixes na Casa XII, em conjunção com Quiron, em conjunção com o seu dispositor Neptuno, em trígono com o seu outro dispositor Júpiter, e em sextil com o seu "regente esotérico" Plutão

- "só" "isto", "só" por "Si" já é - já seria - um Oceano de Magia e Mistério, e Cura e Gratidão -

"lavando" os resquícios do ciclo que caminha para o seu término e antecipando o próximo ciclo, que será - inevitavelmente - expressão inclusiva e potenciada do anterior, que lhe dá origem e lhe serve de útero

imagina tu o que não poderá ser, então, se alinhares tua Intenção Consciente com esta energia, e fazeres a tua parte por actualizares assim a Vontade de Deus (chama-lhe brahman, Universo, Self, Divindade, banana ou qualquer outra variante semântica que prefiras, por mim - e por "Ele" é igual, "isto" está tudo muito "além" do palavreado mas enfim, fazer o quê, é quase tudo o que temos para nos referirmos ao que não tem nome, nem designação, e que podemos nós fazer senão, largamente, chamarmos-lhe nomes)

e este momento-semente que é, ou parece ser, de momento, o lampejo de uma Vontade de Cura e Redenção, e de Perdão e Gratidão, de encerramento e conclusão e anúncio simultâneo de nova Aurora e possibilidades de Ser,

se ao menos confiares, e te entregares ao Futuro como se o soubesses no íntimo do teu Ser mesmo que a tua periferia não tenha propriamente motivos para se alegrar ou confiar,

e se recapitulares, e agradeceres, por Tudo quanto É, por Tudo quanto Foi, e por Tudo o que será,

e te ajoelhares perante a antecâmara do teu próprio Coração, que não é sequer teu, é o Coração Colectivo, Universal, que tudo Ama Abarca Redime Vê e Abraça,

que de Ti cuida,

que te tem Cuidado e Guiado e Protegido e Abraçado e Carregado nas asas do seu próprio Amor,

mesmo enquanto - ou quando - acreditavas que eras tu, pequena estrela,

a conduzir e guiar teus próprios passos e Destino

quando era - e sempre foi, afinal - o Céu a Tua Vida

e assim possas saber, e recordar, não só que a Vida é o Céu, e o Céu é a Vida,

e que é tudo, fundamentalmente Uma Única Coisa

e que coisa!, Coisa ser um nome tão coiso para chamar a Tudo o que É

... felizmente há Amor, e Perdão, Compaixão, muito além de qualquer opinião ou verdade particular,

muito além de qualquer escolha,

muito além de qualquer escotilha

neste Oceano de Amor em que navegamos...

tu e eu, Nós, Coração, Coração,

Gratidão * Gratidão * Gratidão *



Enviar um comentário