3 de outubro de 2013

pensamentos sobre o cancer


Sabias que no ano de 1931 (no último ciclo de Urano em Carneiro, diz o astrólogo que vive em mim) um cientista recebeu o prémio Nobel por descobrir a CAUSA PRIMÁRIA DO CÂNCER?



Foi o senhor Otto Heinrich Warburg (1883-1970). Prémio Nobel em 1931 pela sua tese "A causa primária e a prevenção do câncer".

Segundo este cientista, o câncer é a consequência de uma alimentação anti-fisiológica e um estilo de vida anti-fisiológico
 
- Porquê?... Porque uma alimentação anti-fisiológica - dieta baseada em alimentos acidificantes + sedentarismo, cria em nosso organismo um ambiente de ACIDEZ.

A ACIDEZ por sua vez, EXPULSA o OXIGÉNIO das células!!!

Ele afirmou: "A falta de oxigénio e a acidez são as "duas caras de uma mesma moeda": quando você tem um, você tem o outro".

Ou seja, se você tem excesso de acidez, então, automaticamente, tem falta oxigénio em seu organismo!

Outra afirmação interessante: "As substâncias ácidas repelem o oxigénio; em oposto, as substâncias alcalinas atraem o oxigénio."

Ou seja, um ambiente ácido, é um ambiente sem oxigênio.

E ele afirmava que: "Privar uma célula de 35% de seu oxigénio durante 48 horas, pode convertê-la em cancerígena".

Ainda segundo Warburg: "Todas as células normais tem como requisito absoluto o oxigénio,  porém as células cancerosas podem viver sem oxigénio - uma regra sem excepção".

E também: "Os tecidos cancerosos são tecidos ácidos, enquanto que os saudáveis são tecidos alcalinos".

Em sua obra "O metabolismo dos tumores", Warburg demonstrou que todas as formas de câncer se caracterizam por duas condições básicas:

» a acidose (acidez do sangue) e » a hipoxia (falta de oxigénio).

Também descobriu que as células cancerosas são anaeróbias (não respiram oxigénio) e NÃO PODEM sobreviver na presença de altos níveis de oxigénio; em troca, sobrevivem graças à GLICOSE, sempre que o ambiente está livre de oxigénio...

Portanto, o câncer não seria nada mais que um mecanismo de defesa que têm certas células do organismo para continuar com vida, em um ambiente ácido e carente de oxigénio.

Resumindo: Células sadias vivem em um ambiente alcalino e oxigenado, o qual permite seu normal funcionamento;

Células cancerosas vivem em um ambiente extremamente ácido e carente de oxigénio:


E agora gostaria que pensasses no que significa - simbolicamente - a "acidez" no teu Ser

Gostaria que reflectisses sobre o processo de Respiração - respirar é trocar Vida com a Vida, como escrevi noutro sítio, "fazer Amor" com a Vida. Quando expiras, e pões para "fora" o que tens "dentro", activas o simbolismo do Sol, o "dador" da Vida, a expressão, a autenticidade, o dar-de-ti, o levar-aos-outros, o oferecer-lhes (o único que tens para oferecer, na realidade, que é o que está dentro e pode sair).

Quando inspiras, activas o simbolismo da Lua. Trazes para dentro do teu Ser o que está "fora" de Ti; aceitas, trazes, tragas, engoles, incluis, integras, "abres-te" ao que te chega "de fora" - e precisas de ter os pulmões vazios, i.e., precisas de os ter "expresso" previamente (esvaziado) para poderes voltar a enchê-los.

Pensa no teu medo de te esvaziares quando expiras, de te esgotares quando dás de ti, de ficares sem, de "perderes"; pensa no teu medo de que no momento seguinte possa não haver "oxigênio", Vida, Amor, alimento, nutrição para inspirares, e pensa em como isso torna a tua respiração superficial, curta, incompleta, avarenta, medrosa, interrompida. Esse é o primeiro dos teus coitus interruptus.

Inspiras Vida através da tua capacidade de aceitação; expiras Vida através da tua capacidade de te expressares autenticamente; sem te expressares autenticamente a cada Momento, não esvaziarás o espaço para receber nova Vida de seguida; expira e confia.

Sem inspirares profundamente e te encheres do que a Vida tem para te oferecer a cada Momento, não terás nada de novo para ofereceres no momento seguinte, quando for o momento - do ciclo infinito - de voltares a "pôr-te" para fora.

Pensa no Sol e na Lua como a tua capacidade de Respirar e fazer Amor com a Vida. Pensa na alternância entre a actividade e o repouso; entre o dar e o receber; entre o oferecer e o pedir; entre o Pai e a Mãe, dos quais QUERES estar equidistante, sem partidos tomados, sem ressentimentos que te aprisionam mais do que te libertam.

Pensa na Troca. Pensa na Aceitação. Pensa na Afirmação. Pensa na alternância, saudável, entre os dois pólos da Vida.

Pensa em dar tudo o que tens. Pensa em receber tudo o que te é oferecido, mesmo que julgues. Mesmo que julgues, seja lá o que for; pensa em Amar e Respirar.

Pensa em curar-te. Afirma tua Cura. Respira tua Cura. Só te Curas se fores Integral, Inteir@, Autêntic@ - a Cada Momento.

Momento a Momento.

Inspira Amor. Expira Amor. Se inspiras Dor, expira Amor. Se expiras Dor, recebe Amor.

Troca. Circula. Partilha.

e já agora... pensa na glicose. No açúcar. É Amor. É Vénus. Só quando não estás a ter VERDADEIRO PRAZER é que vais buscar fontes mal sãs de "açucar", aquilo a que eu chamo as "compensações secundárias": ir para os copos à sexta e ao sábado para fugir de uma Vida que não Amas, nem Cuidas, nem te Preenche; ir de férias 3 semanas por ano numa "escapadinha" de uma Vida que odeias nos restantes 11 meses e seis dias; no chocolate que te compensa da tua falta de Amor; e em todos os outros prazeres substitutos que, além de custarem dinheiro - e serem "pecado", porque te mantêm aquém de Ti própri@, são tão efémeros quanto imaginas. E sabes.

e já agora... pensa na água. O que é a água? É toda a tua matriz emocional e a tua relação com teus próprios sentimentos, memórias, emoções e dinâmicas inconscientes, gravadas - uma por uma - em cada uma das tuas células... em 90% do teu corpo - que é Água.

e se leste até agora... já agora... lê também o meu artigo sobre "Preenchimento e Gratificação". E terás mais umas pistas.

Sabe: que nenhuma doença tem como se manifestar se o teu território psíquico, e as tensões na tua Consciência, não estiverem previamente "instaladas" como factores/condições prévias.

Tudo - TUDO - começa na tua Consciência.

Por isso te Peço: acima de Tudo Ama-te, Cura-te, e Cuida-te.

Ninguém o fará por Ti. *

(por muito que procures, mendigues, negoceies, ou abdiques da tua própria Dignidade Vertical) *

Enviar um comentário