1 de setembro de 2012

as Leis do Tao *


Tudo o que existe no universo é uma manifestação de energia.
Em estados mais grosseiros ou mais subtis, com baixas ou altas frequências de vibração: da mais leve, mais rápida e mais rarefeita, que se associa à Luz, à Inteligência e ao Espírito, à mais pesada, lenta e densa que se associa às Trevas e à Matéria.
 

As fases de evolução da energia processam-se em movimentos cíclicos gerados pela tensão de dois pólos opostos e complementares. O pólo Yang, activo, emanador; o pólo Yin, passivo e receptivo. Esta Lei é válida para qualquer movimento do Universo.

“Se os opostos se geram mutuamente, qualquer coisa nasce sempre do seu contrário. Se o verão dá lugar ao inverno, a noite ao dia, o frio ao calor, se o claro pressupõe a existência do escuro, o branco a existência do preto e assim indefinidamente, então a realidade tem como complemento a não-realidade. Ser e não-ser, são os dois pólos de uma mesma curva.” (Lao Tzu)
 

Energia de uma específica frequência responde a atrai energia de frequência correspondente. Desta lei se deduz que as experiências da Vida resultam da frequência vibratória que cada um traz em si. Assim, os acontecimentos do dia-a-dia exprimem e reflectem as energias individuais. São a resposta correspondente. São a ressonância exterior do nosso mundo interior.
 

A interacção subtil destes dois pólos de energia é o que vulgarmente se chama Destino. Na realidade, o destino não é determinado por uma autoridade ou divindade exterior, mas é a consequência directa das energias contidas num indivíduo.
 

A Mente e o Espírito são estados muito subtis de energia. Quando se materializam no mundo físico, aparecem como fases da mutação das qualidades elementares. A vida nasce da mutação dos Elementos, da inter-relação da Terra, da Água, do Ar e do Fogo. Por ordem de grandeza, os Elementos manifestam-se no Ser Humano do seguinte modo:
O corpo físico, a matéria, a Terra; os sentimentos, as memórias, o desejo, a Água; o mental, o pensamento, a comunicação, o Ar; o mais leve e luminoso, o Fogo Supremo.
 

Karma, lei pela qual qualquer acção polariza uma reacção nesta ou noutra vida. Reacção de frequência correspondente à acção anterior, de igual qualidade. Assim, cada acto, gesto ou pensamento, desencadeia algures num outro tempo e espaço, o seu acto, gesto ou pensamento complementar.

Para que todo o Movimento se complete e de novo a Unidade seja possível,
é condição necessária que os opostos se reconciliem e integrem.
Só assim se transcende a divisão do Mundo.
É esta a sabedoria do Tao.

* texto de Maria Flávia de Monsaraz