18 de fevereiro de 2019

as crianças arco-íris e (o Mundo) para que nasceram



Sabem o que são as Crianças Arco-Íris, conforme descritas pela especialista mundial em Angeologia, Doreen Virtue?

Mais abaixo forneço uma descrição sintetizada, retirada de um site ao qual agradeço desde já, e publicamente, ter disponibilizado esta informação para todo o mundo.

Mas quero, ainda antes de vos deixar com a leitura das suas características (para que as reconheçam, assumam, e cuidem delas o melhor possível - em função da natureza delas, e das nossas/vossas próprias limitações e natureza),

partilhar com quem me leia um comentário pessoal - subjectivo, necessariamente, mas (para mim) importante. 

E não é só por ser Pai de uma destas Crianças Mágicas. E "tio de Coração" de algumas outras.

E de saber, e reconhecer, da existência de outras tantas.

É igualmente, e fundamentalmente, um apelo a todos quantos me lêem, e com a Intenção de que esta Consciência possa irradiar, espalhar, e inspirar à nossa volta pais, educadores, cuidadores, enfim - todos os que temos a responsabilidade, e TODOS temos, de levar o Mundo e a hUmanIdade um pouco mais adiante do que nós próprios conseguimos levar a nós próprios.



É um pedido muito claro:

Por favor inteirem-se das novas ondas evolutivas, e esqueçam tudo o que sabiam do passado. Isto - estas crianças, estas ondas, esta revolução - é a promessa de um Novo Mundo. E precisam de nós para se plasmarem, desenvolverem, crescerem, amarem, e cumprirem.


(e por favor protejam-nas da 'educação' e da 'adulteração', e dos iPad's, e das feridas e projecções dos adultos que pensam que têm como função 'educar'.
Temos é que as apoiar, aprender com elas, prestar atenção, facilitar, vê-las com os olhos do Espírito, e conduzir a sua energia irreprimível com limites flexíveis, amorosos e conscientes (e conscientes do que elas são, tanto quanto podemos, nós próprios com nossa percepção limitada, compreender d'Isso), e reconhecer - acima de tudo, reconhecer e aceitar - que os nossos filhos são forçosamente um upgrade nosso. E se forem bem criados,
São, são para Estar, e Ser, do mundo.
E não para tapar os nossos buracos, viverem as nossas vidas inconscientes e não vividas, arcarem com o peso das nossas próprias feridas e padrões familiares não curados.
Isto é um apelo, e não é só pela minha filha Maria Jasmim: é por todas as Flores Coloridas que têm estado a chegar ao Planeta através de nós, 

que conspirámos (ainda que "inconscientemente" - ou "supra-conscientemente") para as "trazermos"

(a minha teoria é que "elas" "manipularam" os pais para Encontros, muitos deles altamente improváveis, porque precisavam, para se cumprirem, do melhor de uma - da mãe - e do outro - do pai; mesmo que depois os caminhos divirjam, e não convirjam necessariamente para os modelos herdados dos nossos pais e avós, o das famílias infelizes (ou felizes!), acomodadas e "estáveis", cheias de vidas não vividas, de pessoas não cumpridas nem individualizadas, e cheias (as famílias) de segredos e esqueletos nos armários.

(não todas, todas; mas a larga maioria: e os Tempos agora são outros; e com o individualismo crescente, a grande percentagem de famílias "desestruturadas" e os novos modelos de organização nuclear - famílias monoparentais, ou multi-parentais, trans-generais e outras que tais, a elevadíssima taxa de divórcio (nos casos em que os pais chegam, sequer, a casar, temos de reconhecer que os modelos familiares antigos - ao preço de perdermos alguma coisa de fundamental e essencial que não deixa de poder ser honrada e resgatada de outras maneiras, novas -, não deixam de ter colapsado e aberto caminho a novas possibilidade de Relação, Amor, e Família.

Estamos num Tempo sem modelos, e cumpre-nos a nós inventá-los; em vez de andarmos a sofrer com a expectativa tonta e tansa e pretensiosa de impor o único que conhecemos a realidades novas que nem sequer compreendemos, se é que - sequer - as reconhecemos. Fim de parêntesis)

Que se acabem - por_Tanto - as projecções emocionais inconscientes sobre os filhos, as manipulações, e as preocupações estúpidas em as coisas "terem de ser" "supostamente" de determinada maneira para serem "correctas".

Isso é um peso absurdo, inútil, daninho e contra-produtivo de colocar em cima dos "pais" modernos.

Por favor acordem para a Vida!

O senso de culpa de não cumprir papéis tradicionais (nas novas formas de Amor e Família) é uma perversão do nosso próprio senso de responsabilidade em fazermos o melhor que pudermos, com o que sabemos - e da nossa responsabilidade em aprendermos, e compreendermos, tudo o que está ao nosso alcance - se AO MENOS nos dermos ao Trabalho,

porque é isso o Trabalho do Amor.

Que se amplie a Consciência Planetária, Colectiva, Comunitária, (a) de que os nossos filhos SÃO do mundo, vieram (através de nós mas) para ele,
a consciência de que TODA A COMUNIDADE deve cuidar de todas as crianças, independentemente dos 'laços de sangue'.
a consciência desta nossa responsabilidade cósmica e planetária!

São estas Crianças, chamadas Arco-Íris (um rótulo é só um rótulo, mas transmite uma ideia e traduz qualquer coisa de essencial), descritas sinteticamente no artigo que transcrevo abaixo, a Esperança no futuro para este Mundo, os agentes e os mensageiros da nossa próxima etapa de evolução colectiva: são os Buddhas e os Cristos, mensageiros de uma Dimensão e Qualidade de Amor Superior, que vêm despertar - curar, alegrar - a nossa própria consciência búdica, ou a nossa consciência crística - tão larga e tragicamente adormecidas na maioria da humanidade actual.

… e acima de tudo, estas Crianças vêm espelhar-nos, pelos desafios que nos trazem e obrigam a enfrentar, AS NOSSAS PRÓPRIAS LIMITAÇÕES AO AMOR - as barreiras que criámos, as imposições que fazemos a nós e aos outros, as expectativas que projectamos sobre os outros (e essa é uma forma terrível de tentar tiranizar e colonizar o outro, e onde há colonização, não há Amor).

Vêm obrigar-nos a solucionar um puzzle, que é: onde é que o Amor ainda não flui, nem é livre, no meu Ser? Porque só com esse "desbloquear" é que as podemos Amar e Servir tal como precisam, e no fundo, aquilo que elas precisam para Ser é que NÓS amamemos. Ponto.

Dir-se-ia que isto é verdade, e sempre foi, para todas as crianças, para todos os filhos, para todos os pais, para todos os casais, para todas as famílias, para todas as sociedades pelo menos as que nos são culturalmente familiares e próximas, e ninguém diz que não.

Apenas afirmo - reafirmo - que ESTAS vêm fazê-lo como nunca antes.

E que nós vamos ver isso espelhado e reflectido, particularmente, nos desafios das famílias e especificamente dos "casais" que se formam (e tantas vezes, pelos meandros mais difíceis, improváveis e engenhosos que podemos conceber ou divisar).

... e é por isso, também, que deveríamos tentar preservar o planeta e evitar o seu colapso anunciado - por este ritmo e andar - em duas ou três décadas, senão antes - já não haverá condições para crescer saudável e prosperar neste planeta.
Para estas crianças viverem, digo,

E não, para os passivos, diligentes, derrotistas, irresponsáveis, inábeis, ou idealistas que negam a urgência em fazer algo pela "realidade" à nossa frente e à nossa volta por estes dias: o reset só é necessário se NÓS falharmos em estar à altura da nossa missão e responsabilidade. Porque estes seres fizeram, fazem, um voto de confiança ao escolher ENCARNAR nestes Tempos.

Estas Crianças fizeram um voto de Confiança de que "nós", adultos, seríamos - seremos - Adultos. Para as acolher, "ter", amar, proteger, e cuidar.

Porque por estes Tempos, ISTO é o que faz de um ser humano um verdadeiro ser humano e de um adulto,

um "verdadeiro" Adulto.

Recordem - os adultos - que a este ritmo, já estamos a viver à conta (e a canibalizar) o mundo (os recursos) que deveria(m) estar disponível(eis) para eles.

Pensem nisto, especialmente se tiverem crianças pequenas à vossa volta,
Se observarem os desafios na educação das crianças por estes tempos,
Se forem pais, particularmente, e avós, e irmãos ou irmãs mais velho/as,
Se forem tias, tios, 
Se forem humanos

E tiverem os laços que nos ligam aos outros e que fazem de nós, 
realmente,
Humanos.

Cuidemos do Planeta e aprendamos a Abrir o Coração,
por nós
mas acima de Tudo,
pela nossa Esperança Colectiva no Futuro

e no Destino deste Planeta Terra.

Ora leiam,
« As crianças arco-íris são a 3ª geração de crianças especiais que vieram ajudar a humanidade a evoluir. Diferente das crianças Índigo e Cristal, as crianças Arco-íris têm algumas características mais interessantes.
As crianças Arco-íris geralmente nasceram após o ano de 2000 e depois. Em alguns casos, também pode haver alguns pioneiros, ou batedores, que vieram à Terra antes de 2000. As poucas crianças Arco-íris que estão aqui hoje, nasceram juntas com os primeiros pioneiros de cristal que nasceram nos anos 80.
Como o nome indica, as crianças Arco-íris vêm à Terra com mais alguns outros espectro da cor dos raios. São da 9ª dimensão de consciência, a dimensão da consciência coletiva. Como muitas pessoas podem ter experimentado, as crianças Arco-íris trazem alegria e harmonia para suas famílias. Ao contrário das crianças Índigo e Cristal, a criança Arco-Íris nasceu para sorrir, que é acompanhada por seus enormes corações que estão cheios de perdão.
Doreen Virtue descreve as características das crianças arco-íris
Muito poucos atualmente encarnados
Os pais são adultos cristais
Nunca encarnou antes
Sem carma
Não escolhe famílias disfuncionais
São todas missionárias
Podem ter olhos grandes como as crianças cristais, e são totalmente confiantes
Totalmente destemidas
Trazendo a energia do arco-íris de cura anteriormente trazida através do Reiki, QiGong e cura prânica e outras mãos de cura
As crianças cristais também podem ter uma energia muito alta, ter personalidades fortes, serem criativas e manifestarem instantaneamente o que quiserem ou precisarem.
O objetivo das crianças arco-íris é completar os estágios finais da fundação que as crianças Índigo e Cristal fizeram. As três crianças, Indigo, Cristal e Arco-íris, têm uma tarefa específica.
As crianças índigo vão quebrar o paradigma do pensamento tradicional. Então as crianças Cristais irão construir suas bases no paradigma quebrado. Finalmente, as crianças arco-íris estão aqui para acabar de construir o que as crianças Índigo e Cristal começaram.
As crianças do arco-íris são perfeitamente equilibradas em suas energias masculina e feminina. Elas são confiantes sem agressividade; são intuitivas e psíquicas sem esforço; são mágicas e podem dobrar o tempo, tornam-se invisíveis e ficam sem dormir e sem comida. As sensibilidades das crianças Cristais as tornam vulneráveis a alergias e erupções cutâneas.
Os anjos dizem que as crianças Arco-Íris vão superar esse aspecto. As crianças arco-íris não têm carma, então não precisam escolher infâncias caóticas para o crescimento espiritual. As crianças Arco-Íris operam puramente por alegria, e não por necessidade ou impulso.
Os bebês serão reconhecidos, porque a energia deles é de dar aos pais e não de necessidade. Os pais perceberão que não podem ultrapassar seus filhos Arco-Íris, pois essas crianças são um espelho de todas as ações e energia do amor. Quaisquer pensamentos amorosos, sentimentos e ações que você envia para eles são ampliados e devolvidos cem vezes.
As crianças arco-íris já estão sintonizadas com o mundo para o qual estamos nos movendo quando as coisas se manifestarão instantaneamente. A humanidade como um todo ainda não está lá, então a grade da consciência de massa impede que a manifestação instantânea seja comum.
Uma criança tem dificuldade em entender isso. Elas pensam suco, e em seguida, o suco deve aparecer naturalmente instantaneamente. Em dimensões mais elevadas isso pode ser verdade e será verdade aqui também na Terra, graças aos garotos arco-íris que o fazem.
Crianças Arco-Íris tendem a:
Ter vontades e personalidades muito fortes
Ter energia muito alta
Ter vibrações de cores ao seu redor
Ter criatividade apaixonada
Amar roupas brilhantes e ambientes coloridos
Borbulhar com entusiasmo por tudo na vida
Esperar manifestação instantânea do que eles pensam/precisam
Ter habilidades de cura
Ter telepatia
As crianças Arco-Íris parecem estar aqui para implementar a Vontade Divina e usarão sua força de vontade e energia para construir o Novo Mundo sobre a fundação da paz e harmonia que as crianças Cristais estão estabelecendo.
As crianças cristal só são capazes de estabelecer essa fundação porque as crianças índigo já forjaram o caminho e derrubaram todas as barreiras antigas. Eles são muito importantes e têm que entrar nessa sequência para atingir seus objetivos.
Crianças Arco-íris são altamente sensíveis, amorosas, perdoadoras e mágica como as crianças cristais. A diferença é que as Arco-íris nunca estiveram na Terra, então elas não têm carma para se equilibrar, portanto, escolhem residências totalmente pacíficas e funcionais. Elas não precisam de caos ou desafios para equilibrar o karma ou crescer.
À medida que as outras crianças Cristais envelhecem, elas serão os pais amantes da paz que terão os novos filhos Arco-Íris. Os que nasceram antes de 2010 são os batedores, e o grande afluxo ocorrerá durante os anos de 2010 a 2030.
As crianças arco-íris são absolutamente abertas, amam incondicionalmente e não temem nenhum estranho. Ao contrário das crianças Cristais que só demonstram afeição pelas pessoas que garantem sua confiança, os Arco-íris são universalmente afetuosos. Eles nos curam com seus enormes chakras do coração e nos envolvem em uma manta de energia multicolorida que tanto precisamos. Eles são nossos anjos da Terra.»

15 de fevereiro de 2019

põe-te a Caminho!

 

... Já tod@s sabemos, sentimos, observámos e coiso

que as energias deste último par de meses são notáveis, explosivas, irresistíveis, imparáveis *
contestatárias e irreprimíveis,

é tudo a bater de frente, a queimar, a arder, a explodir - e a cair, e a ficar pendurado, e no fundo do (seu próprio) buraco

- e que à medida que este mês avança a coisa aquece, e aquece, e aquece

e a par do desafio convite convocatória apelo impulso vontade de mudar de vida também nos oferece

a coragem a audácia a confiança para avançar

- e um grande par de tomates - a quem os queira agarrar, senão fica agarrado ao pau - para não variar

um chackra vermelho para s'enraizar,

um laranja para viver com Prazer autêntico,

um amarelo para se definir e expressar a sua própria vontade e prazer de estar Vivo, e em movimento

(um Coroa para nos orientar - and I don't mean another sugar daddy, porque topas? tão-se a pôr nas putas, os cotas - e já não é de hoje

e as Mulheres, as que o são, já se começaram também a pôr-se ao fresco

- e não digo refrescar a passarinha por causa do s.Valentim)

- Segurança, precisa-se!, né?

Garantias, promessas - não vão funcionar, vão-te manter agarrad@ (e esse pau vai cada vez mais escorregar-te das mãos enquanto se torna um palito: sugiro-te VEEMENTEMENTE que não te agarres, mas que te deixes cair

em Ti (depois não digas que eu não avisei)

Segurança,

não na ilusão que nos vem dos apegos ou contróis, sei lá: o outro tá manso, o outro não vai, o outro precisa de mim, o outro não consegue, o outro coitado, o outro

(eu sou manso, eu não vou, o outro precisa de mim, eu não consigo, coitado mazé de mim)

Segurança, sim,

mas na própria Vida, e na percepção que nos devolvem

nossos próprios faróis *

os que são iluminados pelo electro-magnetismo da ligação ao Alto.

(se o transe e o nevoeiro e os véus da negação e da auto-ilusão não forem demasiado estimados, claro - e o medo, ah, o medo, sempre o medo, o antídoto da Vida: vê lá tu, foste inoculado à nascença com o vírus da Vida, e passas o tempo a inocular-te o antídoto: é preciso ser estúpido para passares a vida a tentares amortecê-la! :-) )

... e LEMBRA_TE disto: para que "as coisas" não nos "aconteçam", nem imponham de fora, é fundamental que as façamos acontecer e com elas colaboremos

a, e com, cada momento chamado "agora".

seja como for, e se durante muito tempo não houve propriamente urgência, e continua sem haver urgência em chegar a algum lado,

há urgência em partir, ai isso há, não duvides: em pormo-nos a Caminho; e começar a Caminhar
sobre os nossos próprios pés.

ando a dizer, há tanto tempo:

há uns que se manipulam a si próprios com desculpas e culpas,

arranjam desgraçados atrás dos quais se esconderem,

ou escolhem deprimir, fazerem-se de vítimas, coitadinhos,

não podem, não têm, não conseguem, não sabem, ainda precisam de tempo, não sabem se é, se não é, se são, se não são,...

é, é!..., precisam de tempo mas é o kar****!

precisam é de acordar para a Vida, senão a_corda

vai dar um nó ainda pior

e é por isso que tantos que decidiram atirar a toalha ao tapete e escolheram começar a deprimir, adoecer e morrer. E partir.

Acabam por partir na mesma,

- Isto é tão inevitável como eu ter de escrever em português para honrar o meu estilo próprio -

mas não é rumo à sua própria nova Vida: ou talvez seja. Atravessando o umbral desta morte anunciada.

* * * * *

and now for something completely the same,

E porque nem tudo tem que ser dramático nesta ilusão que precisa ser levada a sério

(quem inventou a Vida como paradoxo foi genial)

uma charada que só interessa a quem perceba:

(porque quem não percebe, é melhor não perder ainda mais tempo a tentar responder a adivinhas):

« Qual é a coisa, qual é ela, que começou a fervilhar há uns meses, acordou cheia de fome por estes dias, e se prepara para passar uma ponte, para o outro lado, e terá um pé - ou os dois - do outro lado

antes que cheguemos ao final do mês, mesmo que só ponha o outro

lá para o início da primavera, ou do verão

outono

inferno?

naaaa...

inferno,

apenas para quem não percebe a charada, nem que a Vida É e exige Movimento,

o que é pena:

tiveram a Vida toda (esta, a que foi vivida até agora e está a morrer)

para reconhecer os sinais *

e agora está Verde, e diz o sinal que não avançar é morrer

e criar acidentes

e está tudo a buzinar, atrás e à volta

ambulâncias e sirenes a caminho

e o pobre mirone, distraído e ocupado com as paragens dos outros

e sem perceber que é ele o acidentado *

"como podes orgulhar-te de quem és?"

Esta foi a primeira pergunta a que respondi no Quora, há dois dias, e fi-lo assim:

 
« “Conhece-te a ti mesmo”.
 
Reconhece os teus antepassados e à tua história como uma História de Amor (por difícil ou improvável de a julgar como tal)
 
Tem a audácia de te aceitares na tua natureza.
 
Faz o que te faz sentido e dá prazer.
 
Olha à tua volta, reconhece a riqueza e a diversidade da Criação.
 
Escuta, observa, Ama e Serve.
 
Sê humilde.
 
Atende a tua consciência, as tuas intuições, os teus medos, e os teus sonhos.
 
Cuida bem de ti.
 
Observa como a mente arranja sempre maneira de te afastar do teu Ser Autêntico e profundo.
 
Estuda Budismo.
 
Reconhece a Ilusão.
 
Lê, estuda, aprende sempre.
 
Dá de tudo quanto tiveres: tempo, atenção, gentileza, sorriso, dinheiro até - se não for para lidares com os teus próprios sentimentos de culpa ou comprares o amor dos outros: o essencial não se adquire, constrói-se com o nosso próprio Ser.
 
Faz com que a tua breve passagem por aqui faça uma diferença no Planeta e na vida dos outros.
 
Não faças depender o teu senso de valor de realizações exteriores nem opiniões alheias.
 
Aprende a diferença entre os teus desejos e a inevitabilidade do que a Vida É.
 
Olha para trás com orgulho de tudo aquilo a que sobreviveste, olha para a frente com orgulho de tudo aquilo que conseguiste, mede o teu ‘sucesso’ por tudo aquilo de que abriste mão para poderes chegar aonde provisoriamente estás,
 
Vive de maneira a que no fim da vida apenas 3 coisas importem (esta não é minha, é de um instrutor budista): quão bem viveste, quão bem aprendeste a deixar ir, e quão bem amaste.
 
E quando fores dormir, que seja com a consciência plena e tranquila de que fizeste o teu melhor, e que se chegar amanhã, te comprometes a fazer melhor ainda.
 
Em suma: procura Ser um verdadeiro Ser Humano de passagem por uma Escola onde vimos aprender o Amor, a Liberdade, a Fraternidade, e a Dignidade. Que somos todos Um Só Mundo, uma só hUmanIdade.
 
E ao alçares-te à altura da tua própria humanidade,
 
Encontrarás isso a que se chama orgulho em quem se é; e que eu prefiro pensar como orgulho ‘do que’ se é, porque o ‘quem’, é, em larga medida, a ilusão de um ser separado da vida por uma biografia e uma memória a que chama de ‘identidade’. »
 
 
... fica aqui, para o caso de mais alguém estar interessado na pergunta, e até quem sabe - na minha resposta.
 
 

13 de fevereiro de 2019

faltar (a)o Sonho




(tirada do 'meu' Guia de Planeamento Pessoal e Astrológico, publicado há sete anos)

a frase de Fernando Pessoa que sintetiza a nossa Vida por estes tempos:


"Alguns têm na vida um grande sonho e faltam a esse sonho.


Outros não têm na vida sonho nenhum, e faltam a esse também."



... Certifica-te de que permites e até cooperas, se fores capaz, por estes dias da tua vida, com a remoção inevitável dos véus de ignorância, resistência, cobardia, preguiça, irra_sponsabilidade, prepotência, dor ou medo que te impedem de reconhecer O TEU SONHO

(melhor dito, a tua Verdade Autêntica, o teu Autêntico Self - a tua Liberdade, a tua Alegria, a tua Dignidade, a tua Leveza, a tua Humanidade, o teu direito inalienável de viveres a Tua Vida - a Tua! - nos teus próprios termos, sobre os teus próprios pés - sem dependências nem encostos -
 
e se ainda não acordaste para a Vida, vais acordar nem que seja à estalada e em choque: permanece tranquil@ - mas ocupa-te de Tudo o que Já Sabes; OCUPA-TE!
 
... não é para te pre_ocupares, é só mesmo para te OCUPARES, e de Ti)


Sabes, Self-Service não tem que ser uma bomba da galp, oh sua shell: pode ser um Compromisso de Alma e com a Vida. Com a própria Vida. E com todos aqueles que se disponibilizaram e conspiraram para ta Oferecer.

(aceita-a, e lida com o que te impede de a aceitar tal como te chegou: porque a Vida, tal como te chegou - e chega a cada momento, a cada novo momento, é o necessário e o suficiente - não para "aí" ficares, mas para daí

Partires, Re_Unires (Amares)

e Avançares.
 
(e onde não - te - puderes Amar não te demores, como dizia a Frida, e essa nunca se Kahlo)
 
...

- cuida das pobres vítimas, coitadinhas, em Ti;
 
cuida dos agressores, os cab*ões, em Ti;
 
cuida das Crianças, pobres, em Ti;
 
cuida de destronares os déspotas, os assustados controladores, em Ti;
 
cuida do Universo Inteiro que és - e já estás a fazer mais do que a maioria da humanidade inconsciente e vítima (lá está!) da sua própria ignorância


- e cuida dos 'outros', se puderes e no que te cabe (faz de conta, pronto, que há 'outros') -


Cuida de Ti, por_Tanto,


faz-te um Self-Service: Serviço ao ("teu") Self


e descobrirás que o Self é Uno, é Universal, é Inclusivo, e que não existe diferença nenhuma essencial entre Ti, os Planetas, a Terra, o Espírito, o Pai, a Mãe, a Criança, e o Coração.

(o "teu" e o dos "outros")


... e se vais deixar-te dormir a viver um sonho, que seja um sonho lúcido,


Um sonho com a intenção de Despertar,


com a Intenção de que se te abram os olhos


(e se te rompa a couraça do julgamento, e da tua necessidade de estar "certo" nos partidos - fragmentos - por que optaste, e escolheste,
 
e por muita dôr - muito Trabalho, do que vale a pena - que te custe).


Afinal tens um Sonho, e o Sonho és Tu, Grande Espírito,


Não faltes a esse.


Senão vais começar a ir-te embora,


Desistindo


Abandonando-te a Ti mesmo e com a Fantasia Infantil de que se sofreres o suficiente,


'alguém' te virá salvar.

 
(já reparaste certamente, à tua volta, que uns estão a despertar, movidos pela Necessidade Profunda e movidos pelo Amor - de Deus ou de Si Próprios -, e outros (muitos outros) começam a regressar lentamente ao Sono Primordial, i.e., a deixar-se "morrer"?

 
... e Tu?, queres Viver ou não te importas

(de morrer)

?

Se queres Viver (mas apenas se Queres, mesmo):


Acorda, Irmã/o,


E vê lá se (te) Sonhas como 'deve_s Ser'
... e se fazes alguma coisa, literal_mente,

por ti abaixo *

É Isto

o "segredo" mais bem  guardado, e à vista de toda a gente,

d'Estes Tempos *


... não podes continuar a viver disfarçado, (nem) em Fuga de Ti Próprio.

e "Tu" não é, necessariamente, nada - ou quase nada - do que "foste" (ou aprendeste a "ser") até Agora.

Por Ti, já disse o que tinha a dizer.

Agora cumpre-te a Ti

Fazer,

e Fazeres Aconteceres-te.

afinal,


"se fazes És, se não fazes Serias"   (Agostinho da Silva)