1 de Agosto de 2014

Astrologia da Escolha Iluminada

podemos fazer muito mais em nome da Vida, e com a Astrologia, do que antecipar, conhecer, "saber", controlar, justificar, prever, racionalizar, projectar, manipular, julgar, rotular, e por todas as outras formas defendermo-nos da Vida

podemos Vivê-la (de preferência, conscientemente) e até co-Criá-la *

e pudéssemos nós honrá-la, respeitá-la, promovê-la, aceitá-la como um Convite ao Maior e mais Autêntico e à Possibilidade Mais Gloriosa de cada um: à escolha de cada Um se cumprir.
 

17 de Julho de 2014

Webinar: A Lua Astrológica

Webinar "A Lua Astrológica"

Depois da passagem de Júpiter por Caranguejo (Junho 2013 a Julho 2014), é provavelmente mais fácil reconhecer e compreender mais profundamente o simbolismo deste signo e do seu regente, a Lua. 


Webinar: Princípios de Delineação e Interpretação


Webinar "Princípios de Delineação e Interpretação"

Existem muitas maneiras diferentes de interpretar um Mapa Astrológico, métodos, abordagens e procedimentos. Idealmente, cada astrólogo terá desenvolvido o seu próprio a partir da sua prática e da sua experiência.


15 de Maio de 2014

a chegada (a ponta delgada)



providências, atrasos e interstícios à parte, e já (quase, praticamente) "aterrado" nesta pérola atlântica, belo reflexo do Céu em forma de terra (but then again, what else is new? - não era o Jung que apanhava pedras do chão porque o lembravam do céu? Eu também já apanhei muitas pedras, na expectativa de encontrar o Céu... aos dezassete anos, por exemplo, ia para o Bairro Alto sozinho, ao fim-de-semana à noite, escrever e procurar deus no fundo de copos de absinto... nunca o encontrei, pelo menos na forma em que o buscava, e hoje reconheço que sempre lá esteve - mesmo quando eu não estive - mas isso é outro assunto. Não fica para uma lição... fica para uma auto-biografia não autorizada ahahahah)

a partida (de Ponta Delgada)




mala feita, doces comprados, web check-in feito, um último provisório momento à varanda para inspirar o céu, a luz, as cores e as gentes desta pérola atlântica, o pedaço de céu reflectido na terra que me acolheu durante insta dia ntes momentos - eternos, ternos, instantâneos momentos - fugazes e sem fim - que se prolongarão e ecoarão (ou então, não) pelo Ser a que pertenço afora...

... há uns anos, quando me transportava debaixo de chuva para o aeroporto de Bali, outro dos lugares exteriores mais bonitos por onde o vento já me levou, o motorista comentou, cumprindo a natureza gentil e generosa daquele povo, "esta chuva é Bali a chorar porque te vais embora"

- entre o narcisismo e o pensamento mágico (combinação às vezes dramática, mas tão divertida de observar), gostei tanto da imagem que a guardei no lugar onde guardo o que Amo, e assim torno tão permanente quanto a minha fugaz passagem por Aqui -

hoje, quando acordei, recordei o Madey Wayan, o motorista de Bali, e a ternura da sua imagem.

é que o dia acordou a chover *

mas é só uma projecção - diz o meu núcleo narcisista e mágico - do meu firmamento interior: só nunca se distinguirão, por entre os pingos, os que molham de alegria e os que fecundam de nostalgia e saudade - o sentimento tão lusitano - tão natural como a nossa sede -,

é que vou daqui - se é que alguma vez daqui saí, se é que alguma vez aqui cheguei - com o Coração cheio, a transbordar de Amor Gratidão e Doçura. E não falo dos doces comprados; falo do Doce oferecido, partilhado e trocado durante estes dias - meu deus!, já passaram dias?! - nestes (re)Encontros que a Vida me deu a viver *

... e só por isso vale a pena Viver, e quando se Vive está-se sempre pronto a morrer *

... mais uma mini-morte, mais uma maxi-Vida *

levo a bagagem cheia - sem excesso de peso, porque não há limite -

e é Amor *

o que levo - o que deixo - o que foi - o que será - o que É*


sexta lição




(Wesak 2014, Lua Cheia de Touro em 14 de Maio de 2014)

Deus é Grande:

Eu, que sou um invejoso que não pode ver nada,
também já tive direito hoje, por sua Obra e Graça,
à minha própria (aaaah "minha"... a ilusão continua....) experiência de Siddharta Gautama.

9 de Maio de 2014

quinta lição


 
Sentado numa esplanada, tomando um café, com um olho no burro e outro no cigano, que é como quem diz, com a atenção repartida entre o "mundo michaels" e o que se passa à minha volta (e sem necessidade de definir, por enquanto ou para já, se sou eu o burro - ou o cigano).

8 de Maio de 2014

quarta lição

 
 
Mercúrio acaba de entrar em Gémeos,
 
e porque Mercúrio em Gémeos faz sempre as coisas duas vezes,
 
(e porque quem conta um conto... acrescenta sempre um ponto...)
 
peguei na lição de hoje, a anterior, sobre a preocupação - que possível_mente até já leste (Mercúrio em Gémeos)
 
mas acrescentei-lhe a “legenda astrológica” para quem tenha curiosidade (Mercúrio em Gémeos) ou interesse (Mercúrio em Gémeos) ou Mercúrio em Gémeos (e o faça, simplesmente, porque lhe é natural - nem que seja, ler sempre a mesma coisa em sítios diferentes, ou ler sempre coisas diferentes no mesmo sítio - whatever!, é tudo a mesma coisa mas isso o Mercúrio só descobre quando chegar a Peixes e ficar débil)
 
de modes que,
 

terceira lição



(escrita no, e para o, momento em que a Lua em Virgem, disposta por Mercúrio domiciliado em Gémeos, faz com ele quadratura e oposição a Neptuno - desmultiplicando na mente e no diálogo interno (Mercúrio em Gémeos) os mil milhões de merd*inhas com que todos temos, inevitavelmente, de lidar enquanto andamos encarnados (e de todas as outras cores - e, em rigor, mudando de cor frequentemente, de verde de inveja de quem "achamos" que tem menos com que se "preocupar" a vermelho de raiva e frustração) e perdendo, "em absoluto" (Neptuno) o foco de "onde" pôr - efectivamente - nossa Energia *),

5 de Maio de 2014

segunda lição


 A Lua passou ontem (4 de Maio) o dia todo (em domicílio) com o Júpiter (exaltado) em Caranguejo:

é TÃO GIRO ter sido, curiosamente e nos calendários dos homens, "Dia da Mãe"... tão síncrono, tão "perfeito", e tão "energeticamente verdadeiro"...

e também, imagina-se, tão borbulhante de "bons" sentimentos, e almoços de família provavelmente, e prendas, e raivinhas contidas, e ansiedades afogadas entre dois papo-secos e mais uma pinguinha de água, ou (adi)vinho, e pudesse a intensidade, a verdade circunstancial e honesta deste instantes de redenção - pudessem esses valer pelos outros 364 dias d'ingratidão, egoísmo ou esquecimento, ou simplesmente "por causa" da falta de tempo... "por causa" da rodinha do hamster em que tantos passamos a vida a correr... e antes qualificasse, ESSE, como "exercício"

- - - mas não!

não qualifica.

3 de Maio de 2014

primeira lição


hoje acordamos (um dia acordaremos todos)

com Vénus no grau 0º (zero) de Aries/Carneiro

(e tirámos-lhe uma foto agora mesmo, no momento da sua elevação: tá tão linda, não tá? ;-) )

e decidimos aproveitar o pretexto para a nossa primeira lição de Astrologia do novo ciclo

(primeira? novo? não sei por quê, estas palavras podem não surpreender os mais atentos)

- - - que algo começa, é evidente - - - veremos onde vai parar - - - é inevitável este rumo de coisas - - - estaremos particularmente curiosos acerca disso quando chegar a Gémeos - - - etc etc - - - até descobrirmos que só o descobriremos - - - mesmo que nunca cheguemos a percebê-lo - - - - quando chegar a Peixes e ao final do ciclo que agora se inicia (para os neuróticos: em 21 de Fevereiro de 2015) - - - e aí perceberemos (talvez, quem sabe, em princípio, hopefully) que sabe deus onde vai parar - - - deus sabe - - - nós talvez não mas isso agora não interessa - - - interessa é que começa hoje um novo ciclo

e é, por tantes,

dia da nossa primeira lição de Astrologia

20 de Março de 2014

equinocio da primavera



 

é praticamente oficial.

se a Terra continuar a girar, continuando a alimentar-nos a ilusão (só mais uma no meio de tantas outras!) de que o Sol avança no Zodíaco,

e se os Planetas continuarem a cumprir suas órbitas, quasi-circulares e absolutamente previsíveis, em redor do Sol que tem sido seu centro (e que não deixa de ser mais uma estrela)

- e tudo indica que sim -

(mas também, às 06h11 da manhã, com o nascer do dia, tudo nos parece possível)

... então é quase seguro afirmar

(tão seguro, e tão quase)

que daqui a uma dúzia de horas, menos um bocadinho

(mais coisa, menos coisa)

o Sol ingressará - aparente e ilusoriamente - no signo de Carneiro